Quinta-feira, 22 de Outubro de 2009

80 anos depois

As dúvidas existenciais de um recém-licenciado são inevitáveis. Num momento como este temos de nos sujeitar a deixar a vida pausada, suspensa por uns tempos, contentarmo-nos com as ajudas de custo ou os estágios não remunerados, porque assim há-de ser a única forma de conseguir a tão pedida "experiência". É triste mas a realidade nem sempre é como queremos que ela seja.

A Grande Depressão foi há 80 anos. Assusta-me que esta chamada "crise" esteja a demorar tanto tempo a passar.

publicado por Raki às 17:41
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Sábado, 3 de Outubro de 2009

Mazel tov...

...para os estudantes de comunicação da Universidade do Quebec no Canadá que fizeram este vídeo brutal

 

E já agora por curiosidade é sempre bom ficar a saber mais.

.

publicado por Raki às 01:25
link do post | comentar | favorito
Sábado, 22 de Agosto de 2009

Escolhas duvidosas

É na altura das tragédias que percebemos o tacto e forma mais ou menos profissional como os meios de comunicação encaram a sua função. Sinceramente, a mim, pareceu-me de muito mau gosto as capas do 24 Horas e do Correio da Manhã. Não que eu esperasse algo muito diferente...

publicado por Raki às 14:41
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 31 de Julho de 2009

A Saga dos Não-Remunerados

Quem procura emprego actualmente nem precisaria de continuar a ler, porque já percebeu todo o imbróglio a que me refiro. A praga dos estágios não-remunerados torna a tarefa de quem procura um posto de trabalho ainda mais complicado. Não é fácil escolher entre experiência de trabalho e subsistência. Aquilo a que eu tenho assistido é, para mim, um aproveitar de fraquezas por parte das empresas. Fraquezas dos recém-licenciados que para entrar no mercado de trabalho da área desejada têm que fazer ginásticas mentais e monetárias para tentar perceber se realmente vale a pena aceitar um estágio não remunerado de 6 meses, onde tudo o que vai ter são gastos.

Compreendo a necessidade de se aprender antes de fazer, mas 4 anos na faculdade e um estágio curricular (não remunerado portanto) de 3 meses deveriam valer para, pelo menos, um salário mínimo. Não é pedir muito pois não?

Ao que parece, e foi isso que suscitou o tema deste post, isto não acontece só em Portugal. Somos especiais, mas nem tanto. Na peça do Guardian All word no pay: the new elitism that is freezing out poorer graduates é bem patente a situação delicada que os internships provocam (apesar de importates) por serem free work.

 

"There is exploitation in internships. I find the worst offenders are in the most competitive graduate fields. That would be journalism, music industry, PR and advertising. Companies from those sectors are really quite frankly taking the piss. We get people saying we don't need you because we like interns to pay their own expenses."

 

publicado por Raki às 23:34
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 13 de Julho de 2009

Critérios duvidosos

Os critérios jornalísticos por vezes pregam-me partidas. Porque será que temos que acompanhar todos os dias em que o Cristiano Ronaldo treina? E falo nisto em relação à RTP, porque eles até têm os direitos de transmissão do Tour de France e nem sequer uma peça com um resuminho da etapa eles fazem! Mas o segundo treino do Real Madrid merece uma peça de minuto e meio, a dizer...NADA! Nada de novo, nada de relevante, nada de interessante. A verdadeira Não-Notícia! E falo do Tour mas muitos mais exemplos podia dar, e mesmo que não houvesse mais nenhum assunto...por esta associação de ideias quando começar a época em Espanha vamos voltar a ter meia hora de Cristiano Ronaldo nos espaços informativos da televisão!

Mas isto sou só eu a pensar.

publicado por Raki às 12:31
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 26 de Junho de 2009

Ainda sou do tempo!

Vinha no carro a ouvir a TSF e descubro esta peça que adorei porque, confesso, desconhecia por completo a história dos comandos de televisão!

 

É impensável para nós, actualmente, imaginar uma televisão sem o precioso comando à distância.

E então pus-me a pensar...como será daqui a vinte anos quando eu disser aos meus filhos que "ainda sou do tempo" em que não havia internet, ou que nessa altura era só para os ricos e que "ainda sou do tempo" em que nem toda a gente tinha telemóvel. Talvez lhe possa dizer que "ainda sou do tempo" em que ainda ninguém tinha ido a Marte...mas vou poder certamente dizer que ainda sou do tempo em que o Michael Jackson era preto!

Pronto....já quebrei a minha promessa.

 

publicado por Raki às 17:31
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 29 de Maio de 2009

Ups

Olha....afinal o Lopes da Mota fica.

publicado por Raki às 22:04
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 25 de Maio de 2009

A vergonha do Jornalismo

Devo desde ja dizer que, como não vejo a informação da TVI, não tive oportunidade de ver a entrevista da Manuela Moura Guedes ao Bastonário da Ordem dos Advogados, Marinho e Pinto, na passada sexta-feira dia 22. No entanto, foi impossível não espreitar o que se passou, porque embora tenha sido ignorado nos orgãos de comunicação social, parece que na blogosfera não se fala de outra coisa. E não é para menos.

Digam o que disserem de Marinho e Pinto...até que enfim que alguém foi à TVI dizer umas verdades à pivot, talvez mais conhecida, mas menos profissional da televisão portuguesa. Tudo o que esta "jornalista" faz é aquilo que sempre aprendemos como o que está errado. Juízos de valor, atropelar o discurso do entrevistado, até a postura corporal e comentário infelizes ela consegue produzir.

Terão sido cerca de 10 minutos (o vídeo que vi tem apenas 9, mas não é a entrevista completa) de uma perfeita aula de como não fazer jornalismo. E obrigada Marinho e Pinto, porque assino por baixo cada palavra sobre esta senhora que se acha acima de tudo e de todos. É impressionante como é que pessoas assim continuam a apresentar um telejornal e a liderar uma equipa de informação...ou se calhar até se percebe! Tirem as vossas próprias conclusões.

 

publicado por Raki às 22:57
link do post | comentar | favorito
Domingo, 10 de Maio de 2009

Criatividade

Eu admiro bastante as capacidades de um jornalista quando ele consegue dar a volta a um tema e juntar-lhe um pouco de criatividade na escrita. Afinal, também o jornalismo vive um pouco de sedução! Um título como li hoje no Público, "Eu coço o teu Fletcher se tu coçares o meu Abidal", já é meio caminho andado para o leitor passar a fase seguinte e ler a notícia. Um título chamativo, com um interessante jogo de palavras.

publicado por Raki às 15:56
link do post | comentar | favorito

.Mais sobre Mim

.Janeiro 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


.pesquisar

 

.posts recentes

. 80 anos depois

. Mazel tov...

. Escolhas duvidosas

. A Saga dos Não-Remunerado...

. Critérios duvidosos

. Ainda sou do tempo!

. Ups

. A vergonha do Jornalismo

. Criatividade

.arquivos

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

.links

.tags

. todas as tags

RSS